quinta-feira, 19 de junho de 2008

Eu já fui mais feliz... um dia.

Como posso ter tanta certeza disso se não sei ao certo se nós existimos? É verdade que estou tocando a sua verruga com o meu dedo, mas não seria isso uma ilusão? E se a vida inteira não passasse de uma ilusão? Suponhamos que todos nós estejamos sozinhos e condenados a vagar ao léu num universo indiferente, sem esperança de salvação, nem qualquer perspectiva além da miséria, da morte e da vazia realidade do nada eterno. E aí como ficamos?

Um comentário:

Aline Haar disse...

na onda niilista amiga? :/