segunda-feira, 23 de junho de 2008

"Todo mundo é tão técnico. É tudo uma questão de semântica. Costumava se chamar dementia praecox... na verdade, isso é mais bonito. É pior do que semântica, é cosmético. Uma garota leva o noivo em casa para apresentar aos pais e diz, família, este é o Max, ele é maníaco-depressivo. Dá pra imaginar como eles reagem. Fantasias da filha querida deles se casando com um cara que na segunda-feira tenta pular do alto do Chrysler Building e na terça tenta comprar todos os itens da Bloomingdale's... Mas cse você diz: esse é o Max... ele é bipolar. Parece uma conquista... como um explorador... bipolar como o Almirante Bird. Não, eles me diagnosticaram com termos mais prosaicos. Não doido ou maluco... não estamos falando de um show de comédia... diserram que ele é homicida... um psicopata imprevisível.
...
E quem pode dizer o que é real? Nós somos partículas ou raios? Tudo está expandindo ou se contraindo? Se entrarmos num buraco negro, e as leias da física forem suspensas, eu ainda precisarei de um suporte atlético?"


Woody Allen pensa que nem eu! Ou ao menos, seus personagens...

Um comentário:

Joker Haas Ltda. disse...

Uau... que sorte do orkut o que, quando quero saber o que fazer ou ler alguma coisa inteligente, abro teu blog :)

saudade ja...
beijos ;@